top of page

A CRIANÇA DE 10 ANOS...



Pois é… Nossas crianças chegaram aos 10 anos! Estão encerrando um incrível ciclo de vida: a infância, para entrar na pré-adolescência… Iniciar outro segmento escolar, outros pensamentos, outras atitudes… Onde está nossa criança pequena? Talvez o susto e desafios sejam maiores para a família, pois precisam aceitar que a criança está crescendo, ganhando espaço, ganhando o mundo…

Mas, precisamos nos atentar e entender o que eles precisam =) Vamos lá?


Fase feliz

Nesta idade, o humor das crianças se desenvolve. Elas adoram contar piadas e, principalmente, rir das piadas que contam. Acima de tudo gostam de participar de encontros familiares, festas de aniversário, casamentos, ou mesmo visitar os parentes no fim de semana. Os passeios também fazem muito sucesso e são bem aceitos. Aproveitar estes momentos para bons papos sobre “assuntos difíceis” é uma boa pedida! Estabelecer o vínculo constantemente.


Brigas com irmãos

Irmãos mais novos, nesta idade, são um estorvo na vida do pré-adolescente e eles brigam muito. Os mais novos fazem questão de irritá-los e insistem na chateação até que então o mais velho partir para a resposta física. Quando o pai ou a mãe interferem em defesa do menor, a criança de 10 anos tende a se sentir injustiçada e como resultado passa a acreditar que o irmão é sempre privilegiado. Sempre que possível, é importante terem momentos a sós…


BFF

A sigla da expressão em inglês “best friends forever” começa a fazer mais sentido, especialmente entre as meninas, são possessivas e ciumentas, em alguns momentos deixam de se falar… As amizades ganham importância colossal e as alianças se formam. Também entre os meninos surgem os amigos preferidos.


Equilíbrio

A ansiedade começa a reduzir, em geral, e o choro reduz bastante, bem como as exigências e os questionamentos. Portanto, a criança começa a virar uma curva de maturidade e tudo parece mais simples, prático e direto, o que os pais e mães recebem com certo alívio.


Curiosidade pelo sexo

Nessa idade começam a surgir os primeiros interesses pelo assunto. A curiosidade dos meninos surge em torno da reprodução humana, enquanto as meninas começam a demonstrar certo interesse por relacionamento, casamento e romantismo, o que muitas vezes desespera o adulto, pois cochichos e segredinhos começam a aparecer e as falas “estamos namorando”, “quero namorar”, “será que ele(a) quer namorar comigo”, tendem a ser mais frequentes. O que isso quer dizer? Que seu (a) filho (a) está se desenvolvendo normalmente! Isso é comum nesta idade. Porém, o que vai diferenciar é a nossa postura enquanto adultos neste contexto. Deixar claro que criança não namora! Podem ser grandes e fraternos amigos, que gostar está ok! Sentir afeto também ok! Mas, namorar é somente para adultos.


Mas, cometemos também um grande equívoco quando brincamos e dizemos “ahhhhh fulaninho é seu namoradinho!” ou, “conta pra vovó que já está abalando corações na escola”, ou “namoradinhos” ou ainda compramos presente de dia dos namorados para entregarem ao colega… Atitudes incoerentes com o que dialogamos.


Reprimir, também não é um bom caminho, pois podem entender que isso não é bom e refletir na vida adulta…


O caminho do meio é sempre o ideal! Criança não namora! Tudo no seu tempo, porém ter sentimentos, gostar, dar carinho, tudo bem! Faz parte da vida e do desenvolvimento. Abram sempre para o diálogo e estabeleçam confiança para que possam contar sobre tudo à vocês!


E, todas as vezes que uma pergunta surgir, como por exemplo: “O que é sexo?”, antes de responder, devolvam a pergunta: “O que exatamente você quer saber sobre isso?” Assim, vocês respondem apenas o que a criança quer e precisa saber naquele momento, sem precisar dar aula ou grandes explanações!


Caso não saiba responder, diga a verdade: “Não sei te responder isso agora, mas vou procurar saber e logo conversamos sobre isso.” Ou, “Também não sei isso, vamos pesquisar juntos?”


Ensine-o a tomar decisões

Não existem apenas certezas, nem tudo é completamente previsível, o controle que temos sobre a vida é limitado. Por isso, tomar decisões é uma habilidade tão importante. Ela começa a ser desenvolvida agora. Até aqui, você sempre decidiu tudo por seu filho ou filha, enquanto eram crianças. Mas a infância está acabando e eles precisam aprender a decidir sozinhos. Um passo inicial é reconhecermos o que gostamos ou não, o que queremos e o que não queremos, o que devemos e o que não devemos, e o que podemos ou não fazer.


Estimule a busca por informações

Dessa forma, fazer escolhas exige acessar informações importantes, internas e externas, identificar caminhos possíveis e entender prováveis consequências. Contudo, é nosso papel, como pais e mães, acompanhar e orientar a navegação das crianças no mundo, tanto tecnológico quanto físico, conversando e refletindo sobre aquilo que ouvimos, vemos e “ficamos sabendo” por diferentes meios. Importantíssimo o diálogo sobre fake news, nesta idade já conseguem debater sobre os temas.


A importância da comunicação

As palavras são a forma mais tradicional, mas a comunicação encontra muitos outros caminhos para acontecer. Desenhos, imagens, gestos, expressões faciais, postura corporal… Todas essas outras manifestações transmitem mensagens não verbais que nos ajudam a compreender melhor a nós mesmos, os outros, o mundo e a vida! Nas relações pessoais, tudo é comunicação. Ensine sua criança a interpretar e se comunicar de forma eficiente, abrindo espaço para o diálogo claro, acolhedor e coerente.


Segurança no mundo digital

Com a conquista da autonomia, a exposição das crianças aos ambientes digitais cresce. Por isso, é importante ensiná-los sobre a segurança das informações. Converse sobre os cuidados, tanto no recebimento como na transmissão de informações. Ensine-os a questionar a verificar informações que recebem, a exercitar diferentes pontos de vista sobre um mesmo fato, e a se perguntar o que é seguro compartilhar, e com quem. Mostre que todos somos responsáveis pela maneira como fazemos uso das informações que recebemos e pelas informações que passamos adiante.


Permita a liberdade com segurança, estabeleça horários e dias para acesso às tecnologias, tudo com equilíbrio! Selecionem os conteúdos permitidos e acompanhem o que seus filhos estão acessando. Existem aplicativos de verificação e controle que são excelentes para acompanhamento, como por exemplo Google Family Link.


Gostos musicais, séries e jogos

Nesta idade, geralmente, entre as meninas começam a despertar os gostos musicais e “dancinhas” do momento, interesses no mundo Tik Tok, cabe ao adulto o controle das músicas e letras, bem como exposição no mundo virtual. As séries também ganham o coração das crianças, principalmente de relacionamentos familiares, amorosos, heróis e batalhas, mas alguns desenhos animados ainda chamam a atenção. Os jogos de vídeo game e/ou celulares também conquistam o coração tanto dos meninos quanto das meninas, pois a recompensa imediata e a competição são vívidas nesta etapa de vida. Tanto nas séries quanto nos jogos, cabem aos adultos a pré-seleção de conteúdo adequado à idade e aos valores familiares.


A criança de 10 anos, assim como em qualquer outra idade têm seus desafios, sabores, dissabores, encontros e desencontros e, cabe a nós, adultos, encontrarmos o melhor caminho prevalecendo sempre o diálogo, o amor e o respeito!


Com carinho, Cibele Renó


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page